Apoio Mútuo

Mudanças sérias precisam acontecer

[Saúde Emocional] Ligue para o teu bando

Boas conversas podem ser um fator determinante para manter vínculos com suas amizades e compas.

Conhecer as pessoas é a principal ferramenta para manter a organização, mobilização e a motivação de qualquer projeto; e claro, também para toda situação que preserve os laços e fortaleça a confiança mútua nestes tempos de isolamento social. Mas o que fazer quando não é possível estar presencialmente? Manter vínculos é fundamental mesmo diante da difícil realidade e da complexidade dos momentos que estamos vivenciando com a epidemia do Novo Coronavírus. Contar com nosso bando para compartilhar problemas e buscar soluções coletivas, sem ignorar a subjetividade de cada pessoa. O isolamento social não pode servir de justificativa para desfazer os compromissos que temos entre nossas amizades e compas.

Esse artigo busca incentivar conversas frutíferas com as pessoas que você não pode estar perto. Conversas humanas que sigam um fluxo natural e criem oportunidades para brotar ideias férteis e que respeitem nossas emoções e sensibilidades. Dedique alguns minutos para pensar um pouco sobre a importância de tornar os vínculos mais fortes entre monas, minas e manos que tocam projetos com você.

Ter alguém para conversar é muito bom. Mas antes de mais nada, tente saber se é possível fazer uma ligação ou se está havendo alguma dificuldade com a pessoa com quem quer conversar; pois lembre-se que ainda que muitas pessoas estejam em isolamento social, isto não significa que elas estejam absolutamente disponíveis o tempo todo. Em todas as casas as rotinas e os horários mudaram. Sabemos que você está ligando para algo realmente importante e que você se preocupa com as pessoas que compartilham de seus projetos; mas os cuidados com a saúde, estabilidade emocional e a segurança de co-habitantes é a prioridade neste momento. Busquem definir juntos qual o melhor horário e quanto tempo levará a ligação.

Algumas dicas antes de começar:

  • Se você precisa tratar de um problema em seu projeto/coletivo, antes verifique se a pessoa não está atravessando problemas maiores;
  • A ligação pretende corrigir um problema que aconteceu ou pedir ajuda para tomar uma decisão? Antes de jogar todas as questões, perceba se os dilemas envolvidos estão evidentes e entendidos;
  • Se o problema é com outra pessoa do grupo, o melhor é falar com ela antes de levar a questão às demais, uma conversa franca para entender as motivações pode ser mais efetiva do que fazer especulações/fofocas com outras pessoas;
  • Compartilhar princípios é o mais importante. Quanto às ideias e posições, cada pessoa tem a sua e quanto maior for a diversidade de ideias e opiniões, melhor para o grupo. Ninguém precisa pensar exatamente igual a você e isto é ótimo;
  • Lembre-se, essa é uma conversa ponto a ponto, não a revolução das massas!

Ao começar a conversa:

  • Cultive a empatia: vá com calma, seja bacana;
  • Não há problemas em entrar em detalhes, busque entender como brotam as motivações, os problemas, as ideias, como foram superados problemas anteriores e como está sendo atravessar esse momento;
  • Procure tratar um assunto de cada vez e deixe evidente sobre o que está falando. Exemplos: Quero saber como você está? / Você me ajuda a tirar uma dúvida? / Preciso tomar uma decisão importante e quero saber o que você pensa / É necessário corrigir um problema e talvez você queira ajudar;

Durante a conversa:

  • Não é o momento de exigir um compromisso, as pessoas estão com medo, sentindo-se sozinhas e cheias de incertezas, quem puder se comprometer em apoiar alguma decisão importante ou pegar alguma tarefa pra si fará isso durante a conversa se estiver afim, não fique perguntando se ela pode isso ou aquilo, a menos que ela se ofereça para contribuir;
  • Ainda que você tenha alguma liberdade pra isso, não faça perguntas sobre finanças, relacionamentos ou tratamentos de saúde. A menos que este seja o tema principal de sua ligação e você possa contribuir efetivamente para mudar algo;
  • Busque promover um caminho de descobertas, mesmo que você tenha algumas respostas, incentive a pessoa a responder sobre as próprias perguntas;
  • Cada pessoa tem a sua motivação para participar de um projeto. Preservar e alimentar essa motivação é mais importante do que ela fazer exatamente o que você espera dela;
  • Às vezes as emoções podem transbordar, permita que essa seja uma experiência positiva;
  • Procure não encontrar culpados, o objetivo é encontrar soluções;

Antes de encerrar:

  • Lembre-se de retomar alguma pendência ou apresentar o andamento das questões de conversas anteriores;
  • Repita os pontos mais importantes que você entendeu e confirme se suas impressões estão de acordo;
  • Certifique-se se a pessoa está disposta a aceitar outras ligações e combine o melhor horário;
  • Não esqueça de agradecer pelos bons momentos de conversa.

O objetivo é ouvir outra pessoa, saber seus sentimentos, ideias e preocupações. Não é necessário ligar para todas as pessoas do seu grupo no mesmo dia, faça um pequeno planejamento para conciliar o tempo que você tem disponível e as prioridades de cada conversa. Esse é o momento em que todo apoio emocional é necessário e bem-vindo.

Adaptado de Philadelphia Tenants Union’s COVID-19 Organizing Guide

Anteriores

Segura a curva das mães (Instituto Casa Mãe, São Paulo, SP)

Próximo

Serrão sem corona (Frente de Ação do Aglomerado da Serra, Belo Horizonte, MG)

  1. “Busque promover um caminho de descobertas, mesmo que você tenha algumas respostas, incentive a pessoa a responder sobre as próprias perguntas;”

    Método socrático.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén