Apoio Mútuo

Mudanças sérias precisam acontecer

Tag: mulheres

Bingo do Auto cuidado (CHAYN)

Traduzido e adaptado de chayn.co por luanafaustini.com

A CHAYN é um rede global de voluntariado que atua gerando informações e suporte às vítimas de violência de gênero. Uma das estratégias adotadas para apoiar as pessoas é a criação de recursos on-line por e para ajudar mulheres vítimas de abuso e ajuda-las a encontrar meios para assumirem o controle de suas vidas.

Durante a pandemia do Novo Coronavírus, uma parte da equipe da rede criou um canal no Telegram com dicas e cuidados para vencer desafios como a solidão e a depressão durante o isolamento social, tal como mensagens sobre encorajamento, resiliência e felicidade. O conteúdo é em inglês e somente por convite, mas nos vamos entregar a chave para que você possa acompanhar tudo.

🗝️ https://t.me/joinchat/AAAAAFH1r7Goj7j3ZgOnPA

O canal compartilha textos, vídeos de bate-papo com especialistas, stickers divertidos, desenhos, enquetes, dicas de atividades de relaxamento, palavras cruzadas e esse lindíssimo Bingo do Auto Cuidado que nossa compa, a designer, desenvolvedora e ilustradora Luana Faustini muito gentilmente fez a tradução e adaptação para o Português falado no Brasil.

Faça o download do arquivo em alta resolução para utilizar onde quiser:

Thanks Chayn <3

Campanha de solidariedade às mães da comunidade indígena Kaingang Por Fi Ga (São Leopoldo, RS)

Na comunidade indígena Kaingang Por Fi Ga, localizada em São Leopoldo/RS, temos hoje 64 mulheres mães vivendo em situação de grande vulnerabilidade devido às limitações que o novo coronavírus impõe à comercialização do artesanato tradicional na cidade.

Neste momento, são 8 mulheres gestantes que não estão conseguindo ter acesso aos itens necessários para elas e para os bebês que irão nascer, como roupas, fraldas, materiais de higiene e alimentação saudável.

Tendo conhecido essa realidade, algumas dessas mulheres e de seus filhos, estamos buscando alternativas para colaborar com a comunidade neste momento sem deixar de entender que existem direitos a serem garantidos pelo Estado para a proteção da vida destes cidadãos. Este é apenas um outro movimento.

Assim, além de divulgar os artesanatos que estão sendo produzidos e serão entregues assim que a situação permitir, estamos arrecadando fraldas, roupas infantis, materiais de higiene, cobertas e alimentos. Tudo será higienizado antes de ser entregue para evitar o contágio através do vírus.

Se você tem algo em casa que sua criança não está mais usando, passe adiante. Se tem roupas de inverno que não estão servindo mais, doe. Se não tem nada para doar mas gostaria de ajudar, transfira algum valor possível para você. Qualquer ajuda é melhor que nenhuma ajuda.

Khey Tomas 51 995977998
Laisa 51 993531334
Alessandra 51 997267088

Ações de Solidariedade Mulheres Negras, periféricas, pobres (Fórum de Mulheres de Pernambuco, Recife, PE)

Nós que construímos o Fórum de Mulheres de Pernambuco tomamos a solidariedade como parte de nossa prática política feminista! Entendemos que fazemos a luta em condições desiguais de vida, determinadas pelas relações de classe, racismo e vivência sexual. Além disso, enfrentamos os ataques machistas em condições desiguais também.

Na pandemia da Covid-19 não seria diferente.Por isso, desde 18 de março reforçamos nossa rede de solidariedade e apoio mútuo. Nosso objetivo é que as mais de 300 famílias de nossas militantes atravessem sãs e salvas esta pandemia. Para isto, estamos somando esforços para garantir informação acessível e de qualidade, isolamento social e doméstico dignos para nossas companheiras.

Afinal, o corpo e coração de cada uma é necessário para seguirmos em luta.Entendemos que ser parte de uma articulação feminista nacional e estar há 30 anos na luta feminista nos permitiu maior acúmulo na capacidade para captação de recursos que outros coletivos e grupos menores. Portanto, ampliamos a rede solidária na intenção de apoiar outros coletivos parceiras do FMPE. Seguiremos vivas e ativas na luta política! Por nós e pelas outras! Mas seguiremos ainda melhor e mais fortes com sua doação. Contribua até 30 de abril!

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/acoes-de-solidariedade-do-forum-de-mulheres-de-pernambuco

Ajude a levar kits de higiene e limpeza para mulheres encarceradas (Liberta Elas, Recife, PE)

Com a chegada do novo coronavírus, estamos vendo diariamente pessoas adoecendo e morrendo. A experiência de outros países e das agências de saúde nacionais e internacionais mostra que a diminuição do contato entre as pessoas e a higiene pessoal é a medida mais eficaz de prevenção. Mas paras as mais de 800 mil pessoas encarceradas no Brasil, esse cenário torna-se ainda mais perverso. Essas pessoas encontram-se em unidades prisionais insalubres, superlotadas e com condições mínimas de higiene.

A situação é tão extrema que as pessoas presas têm trinta vezes mais chances de desenvolver tuberculose do que as pessoas em liberdade. Assim, o Covid-19 encontra nas prisões um terreno muito propício para fazer vítimas fatais rapidamente. 

Para agravar a situação, em Pernambuco, as visitas de familiares aos parentes no cárcere foram canceladas temporariamente. Sabemos que são essas famílias que garantem suporte material, psicológico e emocional da população carcerária por meio de produtos de higiene, alimentos e afeto que levam em suas visitas. A ausência de contato com seus familiares torna a vida das pessoas no cárcere ainda mais precária e vulnerável ao adoecimento.

Apesar de nos posicionarmos pelo desencarceramento como medida efetiva de prevenção ao coronavírus, a lógica punitivista e encarceradora do poder judiciário se mostra resistente à libertação de pessoas presas mesmo diante de uma pandemia. Nesse sentido, preocupadas com a saúde e a vida das mulheres encarceradas, essa vakinha tem como meta fornecer um kit de higiene pessoal e de limpeza para cada uma das 411 mulheres que se encontram na Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima – CPFAL.

A pandemia tem demonstrado muito fortemente que a saúde da outra pessoa também é nossa saúde. A saúde das mulheres que estão aprisionadas também faz parte da nossa saúde coletiva. Ajudá-las a ter condições de enfrentar essa pandemia é dever do Estado, de cada um/uma de nós, além de ser um direito constitucional. Abandoná-las, agora, seria condená-las também a uma pena de morte.

Garantindo o direito à saúde das mulheres encarceradas

Nosso objetivo com esta Vakinha é proporcionar kits de limpeza e higiene pessoal para 411 mulheres que atualmente se encontram na Colônia Penal Feminina de Abreu e Lima (CPFAL), apoiando assim na garantia do direito humano à saúde e à vida das mulheres encarceradas. 

O que cada kit contém? 

Kit de limpeza

  • Sabão amarelo
  • Água Sanitária
  • Desinfetante

Kit de higiene

  • Absorvente
  • Sabonete
  • Shampoo 
  • Condicionador 
  • Pasta dentes
  • Escova de dentes

Incidência Política

Entendendo que o Estado tem a obrigação constitucional de garantir a dignidade humana, sem qualquer discriminação, e que a constituição brasileira proíbe as penas cruéis e garante o direito à saúde, o coletivo Liberta Elas em articulação com diversas organizações da sociedade civil vem incidindo junto aos poderes executivo, legislativo e judiciário pela aprovação de uma série de medidas emergenciais necessária para diminuir o alastramento do COVID-19 dentro das unidades prisionais e garantir a dignidade da população no tocante à saúde.

Sobre o Liberta Elas

O Liberta Elas surge no primeiro semestre de 2018, na cidade de Recife, Nordeste do Brasil. Hoje, somos um coletivo de mulheres feminista interseccional,  antirracista, anti-punitivista e abolicionista penal. Nosso foco é estabelecer trocas de afetos, proporcionar momentos de acolhimento e diálogo entre mulheres,  além da defesa dos direitos daquelas que se encontram sob custódia do Estado. Compreendemos que a justiça brasileira é racista, classista, sexista e LGBTfóbica e que  as mulheres inseridas no sistema prisional são julgadas com mais rigor porque são, em sua maioria negras, jovens, sem emprego e/ou educação formal e moradoras de periferias.  Lutamos para que todas as mulhere sejam livres e que seus direitos sejam respeitados. Liberta Elas!

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/nossa-sentenca-nao-e-a-morte-saude-nas-prisoes-tambem-importa

Fundo para Mães e Trabalhadoras Informais (Cursinho Popular Chance, São Paulo, SP)

A Covid-19 está golpeando especialmente as mulheres pobres, que estão na linha de frente das tarefas de cuidados (idosos, crianças e trabalho doméstico), grande parte delas trabalhadoras informais que ficaram sem fonte de renda por causa da quarentenas.

Para tentar reduzir o impacto da pandemia, voluntários do Cursinho Popular Chance criaram a campanha Fundo para Mães e Trabalhadoras Informais Afetadas pela Covid-19 . Trata-se de um financiamento coletivo que pretende garantir  renda básica para mães e trabalhadoras informais da comunidade de Paraisópolis, na zona Sul de São Paulo.

Conseguir ajudar cada mulher com uma renda básica de R$400,00, apoiando Marias diferentes semanalmente, até que a crise diminua e elas possam restabelecer seus empregos.  Queremos contemplar o maior número possível de mulheres! As projeções são que a crise durará cerca de 20 semanas, então quanto mais arrecadarmos, melhor. 

Acesse: redeapoiomaes.wixsite.com/fundocovid19

Ajude os povos de Altamira! (Movimento Xingu Vivo, Altamira, PA)

Nós, periféricos da cidade mais violenta da Amazônia, a maioria negros, sobrevivemos com muito esforço em tempos normais. Nós, ribeirinhos expulsos por Belo Monte, costumávamos receber tudo da floresta. Hoje estamos confinados em Reassentamentos Urbanos Coletivos (RUCs) nas periferias da cidade, ameaçados pela fome e pela doença, enquanto esperamos um reassentamento no reservatório da usina que nunca acontece. Nós, indígenas desaldeados, empurrados para as margens da cidade por aquilo que vocês chamam “progresso” e nós chamamos “morte”, temos ainda menos resistência a todas as doenças que vocês já trouxeram até nós. 

Nós, pobres expulsos de nossas casas perto do centro da cidade, onde ganhávamos a vida com dureza mas também com possibilidade, fomos jogados nos RUCs onde seguidamente passamos semanas sem nem mesmo água nas torneiras. Nós, que ainda moramos ao redor da Lagoa que, desde a construção de Belo Monte, transborda nas chuvas invadindo nossas casas com até metros de esgoto e de lixo, lutamos contra todos os vírus e bactérias e ainda contra a fome que nos engole um pouco por dia. Agora, estamos ameaçados também por uma pandemia.

Nós somos homens e mulheres que ganhavam a vida com bicos e que desde o aparecimento do novo coronavírus não temos mais para quem vender nossos pasteis, nossas tapiocas e também nossa força de trabalho, sempre alugada a preço de quase escravo, porque já não podemos andar nas ruas. Nós somos adultos e somos crianças trancados dentro de casas apertadas demais, muitas sem saneamento básico, num calor de mais de 30 graus e com a comida desaparecendo. Nós somos os desesperados da nova peste.

Nós, mulheres e homens, adultos e crianças de Altamira, enfrentamos, neste momento, um surto de dengue que abala ainda mais nossos corpos subnutridos. E enfrentamos tudo isso num sistema de saúde pública que não recebe recursos suficientes para enfrentar nem mesmo as doenças mais básicas. Nós já morríamos das gripes comuns.

Nós, periféricos de Altamira e refugiados de Belo Monte, vivemos dia após dia na catástrofe. Nosso normal é brutal. Até hoje, a maioria de nós sobreviveu ao genocídio silencioso porque, apesar de nossos corpos arrebentados por todas as violências, nos recusamos a desistir. Desta vez, porém, não conseguiremos sozinhos.

Precisamos da sua ajuda para arrecadar 40 mil reais para entregar 200 cestas básicas + produtos de limpeza para 200 famílias em situação de fome. O mapeamento das famílias foi realizado pelo Movimento Xingu Vivo Para Sempre, Movimento dos Atingidos Por Barragens, Coletivo de Mulheres Negras Maria Maria,  Coletivo de Mulheres do Xingu ,Movimento de Mulheres Trabalhadoras do Campo e da Cidade e Centro de Formação do Negro e Negra da Transamazônica e Xingu. Parte dos alimentos desta cesta serão adquiridos juntos a agricultores familiares e ribeirinhos da região de Altamira.

Brasis, ajudem-nos a não morrer.

https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-os-povos-de-altamira

Kit básico de higiene (Por Elas, São Luís, MA)

Ajudem-nos a continuar esse trabalho pelas mulheres em situação de vulnerabilidade social em São Luís – MA. Doem a quantia que puderem e, por favor, compartilhem! Mais do que nunca, elas precisam de nós.

Contas bancárias

Banco do Brasil
Agência: 2954-8
Conta Corrente: 55321-2
Gabrielle Christine Bacelar Couto Polary
CPF: 02527875260

Nubank (260 – Nu pagamentos S. A.)
Agência: 0001
Conta corrente: 77342876
Ana Luiza Silva Carneiro
CPF: 07222921397

https://twitter.com/porelasslz

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén